segunda-feira, 27 de abril de 2015

"Sonha e serás livre de espírito... luta e serás livre na vida" (Che Guevara)

Às vezes, vivemos experiências que exigem de nós uma pitada de ousadia e descomprometimento com as convenções. Para alguns isso é fácil, para outros é necessário um esforço maior para romper com as estigmas e culpas que são lançadas para nós a todo o momento. Buscar a liberdade e independência é mais difícil que se pensa, principalmente quando se está cercado de pessoas que não conseguem enxergar a vida com o mesmo olhar que você.

Muitos de nós acabamos desistindo dos sonhos, objetivos e amores porque somos tidos como contraventores que estão desviados dos caminhos retos e perfeitos dos padrões (hipócritas) estabelecidos. Quem insiste em seguir em direção aos seus sonhos e interesses, aqueles que não se importam com as opiniões rígidas e ditatórias da sociedade são tidos como irresponsáveis ou loucos.

Eu me pergunto: será que os ditadores conseguem viver realizações com tantas imposições e barreiras que eles mesmos se impõem? As pessoas ao seu redor, ou eles mesmos conseguem atender a esse padrão de qualidade estabelecido? Na minha humilde opinião e ignorância sobre o assunto, penso que NÃO!

A vida em sociedade é pautada em regras, são compromissos rígidos que precisam ser cumpridos, leis que nem sempre concordamos mas que precisamos obedecer, hora para todas as coisas, formas convencionais de se comunicar, ou seja, existe um padrão de "normalidade" que precisa ser seguido durante todo o tempo. Já que a vida coletiva é um exercício diário de se comportar da forma esperada, acredito que minhas escolhas pessoais e sentimentos não podem ser regidos da mesma maneira para que a vida não se torna pesada e exaustiva, sem razão para ser.

Sinto a necessidade de romper esses grilhões que insistem em me atar ao chão. Quero voar, ser livre para ver o sol que se desponta no alto das colinas e assistir à beleza do céu estrelado numa noite sem refletores. Quero poder amar sem culpa e viver as experiências que me fazem sorrir durante todo o dia. Preciso me sentir mais tenra, mais bonita por estar feliz, me sentir mais eu!

Então, peço aos que me amam que me deixem ser livre para viver minhas aventuras, e que estejam de braços abertos e prontos para me acolher caso eu venha precisar.

Boa reflexão a tod@s!
Abços,
Priscila Messias

Postar um comentário