domingo, 5 de abril de 2015

"Aquele cara tem mais de 30 e nunca se casou? Acho que ele é gay"

A frase que dá título ao post me inspirou a escrevê-lo porque a ouço com muita frequência por algumas mulheres quando se deparam com homens solteiros depois dos trinta anos de idade. Geralmente esses homens se dedicam ao trabalho, aos estudos e aos sonhos, o que muitas vezes não permite a presença de mulher e filhos em suas vidas, não que não vivam seus romances, eles só não querem abrir mão de seus planos por conta de uma relação que pode nem sequer dar certo. No universo feminino também encontramos situações assim, mulheres com mais de 30 e solteiras são tidas como "amargas porque não têm um homem".

Ou seja, de acordo com esses conceitos, o fato de se escolher não viver um casamento é sinônimo de homossexualidade ou infelicidade. Agora me respondam: desde quando os homossexuais não vivem relacionamentos? E onde todos os relacionamentos geram alegria e realização? Uma coisas não tem nada a ver com a outra, essas são insinuações completamente sem sentido e totalmente sexistas, machistas e homofóbicas. Estar solteiro não é sinônimo de ser gay ou infeliz!

O que a sociedade precisa entender é que nem todas as pessoas entendem a vida da mesma maneira, quantos homens e mulheres precisam se unir em matrimônio pra descobrir que não deviam ter se casado? Quantos outros precisam ser impossibilitados de alçarem vôos, profissionais ou educacionais, mais altos por conta de um relacionamento? Cada um tem o direito de viver suas escolhas sem que sejam julgados por isso.

Então, mude o ponto de vista, se um homem tem mais de 30 e ainda não se casou, é porque talvez a mulher ideal, que vá entender sua dedicação ao trabalho e estudo, não tenha aparecido em sua vida. Quem sabe se não é você essa mulher?

E quanto a mulher que preferiu estar só talvez esteja muito mais realizada do que se estivesse com alguém que não a apoia ao lado. E não a inveje por isso, lute por suas realizações também!

Pense nisso!
Abços a tod@s!

Por Priscila Messias
Postar um comentário